Laboratórios

Os laboratórios são integrados entre uso de graduação e pós-graduação. Dentre eles citamos:

Captura de Tela 2021-02-02 às 11.49.50

Lab INOVAHERB – Manejo Integrado de Plantas Daninhas e Descontaminação Ambiental

Criado em 2008, é o resultado da necessidade da consolidação de linhas de pesquisa em Weed Science com ênfase na sustentabilidade de sistemas agrícolas, silvicultura e na recuperação de áreas degradadas, invasão biológica de plantas e fitorremediação. É constituído por recursos humanos de diversas IES parceiras no Brasil e experior, coordenados pela UFVJM. Além da formação qualificada de recursos humanos, o grupo pretende ser referência em pesquisas no manejo integrado de plantas daninhas focando na diminuição do uso de herbicidas, principalmente aqueles de maior efeito residual no solo por meio de uma rede de pesquisas protegida denominada INOVAHERB. Em 2013, a marca se tornou elemento nominativo (INOVAHERB®) protegido a partir do objeto do pedido de patente ao INPI (389 – Registro de Marca de Serviço/Mista/Número do Processo: 907452507). Em 2016, as pesquisas foram reconhecidas como de excelência no Estado de Minas Gerais com a concessão, pela FAPEMIG de menção honrosa do Prêmio “Marcos Luiz dos Mares Guia ” de Pesquisa Básica, ao líder José Barbosa dos Santos. Técnicos associados: Carlos Henrique de Oliveira – Emater, MG; Cássia Michelle Cabral: UFVJM; Elizzandra Marta Martins Gandini: UFVJM. Discentes Associados: 01 discente bic Jr, 05 discentes da graduação (PIBIC e ITI/CNPq); 03 discentes de mestrado; 07 discentes de doutorado e uma pós-doutoranda. Projetos associados: Em 2019, o Grupo INOVAHERB teve duas propostas de projeto  aprovadas de relevância: 1) Chamada Biotech-Ambiental – CNPQ/MCTI Nº 29/2020 – Projetos De PD&I Que Visem Ao Desenvolvimento De Produtos E Processos Biotecnológicos Para Minimizar Ou Solucionar Problemas Ambientais Causados Pela Atividade Humana. BIOTEC, ficando entre as únicas seis propostas aprovadas em todo o país. A importância desse projeto é dar origem ao Plano Nacional de Gestão de Resíduos de Herbicidas. 2) InovaAgroFlorestal – Master, and Ph.D. in Innovations for Brazilian agroforestry sector: biomass and phytoremediation: Proposta aprovada na Chamada CNPq Nº 12/2020 – Programa de Mestrado e Doutorado Acadêmico para Inovação – MAI/DAI. Parceria entre o CNPq e a UFVJM e as empresas Suzano, Syngenta, Acrotech e Embrapa para desenvolvimento de projetos em trabalhos de conclusão na graduação, mestrado e doutorado. O valor aprovado é superior a um milhão de reais em bolsas de ITI, MS e DS, além do custeio pelas empresas. Grupos de pesquisaGrupo INOVAHERB cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq. ConvêniosSyngenta Proteção de Cultivos Ltda: Projeto MAI/DAI: concessão de bolsas (CNPq) e auxílio financeiro os planos de trabalho.

Silvicultura – Florestas Plantadas: O laboratório visa desenvolver pesquisas referentes à silvicultura de espécies nativas e exóticas. Os trabalhos nesta linha de pesquisa foram subsidiados direta ou indiretamente com recursos financeiros de projetos multidisciplinares. como também o apoio logístico e investimento em experimentação de campo pelas empresas Gerdau Florestal S/A, Veracel Celulose S.A, Acelor Mittal Bioenergia e Sada BioEnergia. Possui discentes de mestrado e doutorado em andamento e vincula-se aos Grupo de Pesquisa :

Propagação e Cultura de Tecidos: Projeto vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal da UFVJM que subsidia pesquisas básicas e aplicadas relativas à propagação de espécies florestais empregando-se conhecimentos avançados de cultura de tecidos, biotecnologia e melhoramento genético florestal. Os trabalhos nesta linha de pesquisa foram subsidiados direta ou indiretamente com recursos financeiros de projetos multidisciplinares. Possui discentes de iniciação científica (PIBIC),  mestrado e doutorado em andamento e vincula-se aos Grupo de Pesquisa :
Entomologia Florestal (Controle Biológico): Pesquisas na área de manejo integrado de pragas florestais com ênfase em Controle Biológico. Possui um técnico terceirizado com carga horária de 20 horas semanais. No momento  há 3 mestrandos e 2 doutorandos com porjetos em andamentoe possui um Núcleo de Estudos em Entomologia Florestal. Vincla-se ao Grupo de Pesquisa em Manejo Integrado de Pragas Florestais – NEEF.
Mensuração e Manejo Florestal: O Laboratório de Mensuração e Manejo Florestal desenvolve atividades de ensino pesquisa e extensão, nas áreas de: Mensuração e Inventário Florestal; Política e Economia Florestal; Modelagem do Crescimento e Produção; Simulação e Otimização Florestal; Sistema de Informações Geográficas e Geoprocessamento; Manejo de Florestas Plantadas e Nativas,. O Laboratório dá suporte a disciplinas ministradas na Graduação e Pós – Graduação. Tendo parcerias com instituições federais e estaduais, além de empresas. O laboratório tem uma estrutura física composta com computadores para auxílio nas atividades desenvolvidas., além de diversos equipamentos para medição e análise de variáveis dendrométricas, podendo-se citar: sutas, hipsômetros, trenas, distanciômetros, GPS, bússolas, EPI’s, entre outros. Possui discentes vinculados à Iniciação Científica, Mestrandos e doutorandos, com projetos diversos na área de ensino, pesquisa e extensão. Vincula-se ao Grupo de Pesquisa em Mensuração e Manejo Florestal.
Restauração e Recuperação de Áreas Degradadas (Mineração; Plantas Invasoras, Nascentes): Realiza análises química, fisica e biológica relacionadas a solos, substratos e tecidos vegetais; Caracterização ambiental do estado de conservação de ambientes naturais e degradados;   Idealiza e testa novas técnicas de Restauração de Áreas de Degradadas e controle de plantas invasoras;  Resgate de espécies e topsoil em áreas de mineração.   Técnicos associados: Múcio Magno Farnezi. Discentes Associados: São cinco discentes em trabalho de TCC e um bolsitas de iniciação científica,  três doutorandos e um mestrando. Projetos e convênios associados:  1) Estrátegias de conservação, recuperação e monitoramento ambiental na empresa Anglo American em Conceição do Mato Dentro, MG.(2015 -2020); 2)  Fortalecimento da formação de recursos humanos e produção de conhecimento na Cadeia do Espinhaço; 3)  Collaboration Brazil-China-Chile through research on biodiversity and sustainable food production: the role of pollination as a fundamental Ecosystem Service to promote sustainable development; 4) Seleção de plantas para degradação acelerada de resíduos dos herbicidas diclosulam e hexazinone (2017 – 2020); 5) Caracterização de ecossistemas de referência e implantação de modelos de recuperação de áreas degradadas na RPPN Fartura (2014 – 2019).

Captura de Tela 2021-02-03 às 20.55.50

Herbário Dendrológico Jeanine Felfili – HDJF: O Herbário Dendrológico Jeanine Felfili (HDJF) constitui um importante centro para formação de discentes de graduação e pós-graduação, bem como pesquisadores de outras instituições. Atuando no armazenamento e preservação de coleções científicas de referência. O acervo é dividido em quatro seções: coleção botânica (composta por amostras desidratadas de plantas – exsicatas); carpoteca (coleção de frutos e sementes); xiloteca (coleção de amostras de madeiras); e arboreto (coleção de plantas vivas). Todo o acervo pode ser acessado de forma remota (online) e presencial pelos usuários. O HDJF conta com um técnico e aproximadamente de 20 alunos de graduação como suporte para auxiliar na manutenção destas coleções. Atualmente encontra-se registrado e vinculado a diversos e importantes organismos nacionais e internacionais de curadoria de coleções biológicas, a saber: (a) Rede de Herbários do Brasil: https://www.botanica.org.br/catalogo-da-rede-brasileira-de-herbarios/; (b) Index herbarium: http://sweetgum.nybg.org/science/ih/herbarium-details/?irn=168581; (c) GBIF – Global Biodiversity Information Facility: https://www.gbif.org/dataset/eb63cc46-126f-43b2-9c3e-0f03a97e0638; (d) SiBBr – Sistema da Informação sobre a Biodiversidade Brasileira: https://collectory.sibbr.gov.br/collectory/public/show/co300; (e) speciesLink – Sistema de Informação Distribuído para Coleções Biológicas: http://splink.cria.org.br/manager/detail?setlang=pt&resource=HDJF http://splink.cria.org.br/manager/detail?setlang=pt&resource=HDJFw; (f) INCT-HV – Herbário Virtual da Flora e dos Fungos: http://inct.florabrasil.net/participantes/herbarios-curadores/hdjf-herb%C3%A1rio-dendrol%C3%B3gico-jeanine-felfili-universidade-federal-dos-vales-do-jequitinhonha-e-muciru-ufvjm/

MULTIFLOR – Infraestrutura multiusária FINEP  (laboratórios, auditório, espaços coletivos para pesquisa, apoio estrutural para pós-doutores, pesquisadores e discentes envolvidos em trabalhos de pós-graduação).  Os laboratórios do MULTIFLOR:

treelab

treelab – Laboratório de ciência de dados florestais

O treelab realiza estudos que envolvem a manipulação, tratamento e processamento de uma grande quantidade de dados com temática florestal. Os dados florestais são diversas fontes incluindo dados de campo, rede de parcelas, imagens de sensoriamento remoto e nuvens tridimensionais. Para realização dos trabalhos, são utilizadas diversas ferramentas como QGIS, R, FUSION, GeoDA, LPSOlve, RSTudio, Anaconda, Shiny, dentre outras. Comumente os problemas envolvem a necessidade de envolver linguagens de programação como Python e R. Conta atualmente com um aluno de graduação, dois de mestrado e 1 pesquisador visitante. Os projetos atualmente desenvolvidos pelos membros do laboratório vinculam-se aos grupos de pesquisa do CNPq “Núcleo de Estudos e Pesquisa do Zoneamento Ambiental Produtivo” e “Grupo de Pesquisa em Mensuração e Manejo Florestal”. O grupo apoia dois projetos internacionais: Paisagens Sustentáveis Brasil coordenado pela EMBRAPA e USFS, e AMAZECO coordenador pela Bangor University. O grupo trabalha em parceria com INPE, ESALq/USP, INPA, IFAP, UEAP, University of Cambridge, Swansea University, Bangor University.

trecol
 TREcol – Laboratório de Ecologia Tropical

O TREcol busca compreender os processos e fatores bióticos e abióticos que elucidem a estrutura da comunidade e de populações de plantas nas diferentes fitofisionomias presentes na Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço e ambientes adjacentes. A compreensão destes fatores possibilita a utilização racional e conservação da rica flora regional. Estão vinculados ao TREcol dois mestrandos e três doutorandos, os quais estão vinculados ao projeto “Estratégias para conservação e manejo da flora do Espinhaço Meridional”. Projeto “guarda chuva” vinculado ao grupo de pesquisa do CNPq: CENTRO DE INVESTIGAÇÕES DA FLORA que congrega pesquisas dos padrões espaciais e temporais de comunidades e populações de espécies da flora no Espinhaço Meridional, possui cinco eixos principais de pesquisas, a saber: (i) botânica econômica e etnobotânica; (ii) ecologia filogenética e funcional; (iii) ecologia reprodutiva de angiospermas; (iv) flora, estrutura e interações ambientais; e (v) naturalistas botânicos. Também possui parcerias com outros centros de pesquisa, a saber: (a) UFG e Unicamp, por meio do projeto CNPq “Fortalecimento da formação de recursos humanos e produção de conhecimento na Cadeia do Espinhaço”; (b) USP e UNESP, por meio do projeto CNPq/Prevfogo-Ibama“Uso do Fogo no Parque Nacional das Sempre Vivas (MG): compartilhando conhecimento tradicional e científico”.

 

cafesin

 

CAFESIN- Centre of Advanced Studies on Ecological Systems and Interactions

O Centre of Advanced Studies on Ecological Systems and Interactions é um laboratório multiusuário de investigação que congrega pesquisadores de diversas universidades brasileiras e do exterior. Os objetivos de investigação incluem desde interações ecológicas relacionadas aos mutualismos e antagonismos, a organização de comunidades biológicas, até modelagem ambientais e interações complexas que envolvam o uso de bens naturais e seu manejo e conservação. A equipe local inclui dois estudantes de iniciação científica, quatro estudantes de mestrado, 5 estudantes de doutorado e um pós-doutorando. No momento existem seis projetos registrados na UFVJM em andamento, além de outros 6 projetos com financiamento e quatro redes de pesquisa também financiadas  (duas Nacionais: FAPEMIG e CNPq e uma internacional FAPESP-NERC e CAPES-China-Chile-Brasil) que utilizam o local como ponto de coleta ou base de pesquisa. O Grupo de Pesquisa em Interações Biológicas – CNPq é sediado no CAFESIN. As parcerias de pesquisa em andamento no CAFESIN incluem 7 instituições de pesquisa brasileiras e 13 instituições em 11 países.

 

PHYVE

PHYVE – Phytogeography Vegetation and Ecology 

O PHYVE  tem como objetivo conhecer, descrever e divulgar a biodiversidade vegetacional de ecossistemas terrestres, em especial os presentes na Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço. Nossos estudos se baseiam na realização de levantamentos da flora para a promoção de comparações fitogeográficas em todos os tipos de ecossistemas, buscando compreender os padrões da distribuição dessa biodiversidade, assim como das funções de suas comunidades, e variações ambientais nas dimensões espaço-temporais. Atualmente o PHYVE tem vinculado três alunos de mestrado e três de doutorado, todos com projetos em andamento e relacionados a nossa linha de pesquisa (fitogeografia). Os projetos vinculam-se ao grupo de pesquisa do CNPq “Centro de Investigações da Flora” (Recursos Florestais e Engenharia Florestal). E possui parcerias com centros de excelência em pesquisa ecológica no Brasil (UFG e Unicamp) por meio do projeto CNPq “Fortalecimento da formação de recursos humanos e produção de conhecimento na Cadeia do Espinhaço”


LANDLAB

LandLab – Laboratório de estudos da paisagem

O LandLab realiza estudos por meio do SIG destinados à espacialização e análise do estado da conservação e degradação ambiental de regiões/territórios, uso e ocupação da terra, métricas da paisagem, como suporte a políticas públicas de ordenamento territorial. Conta com um discente de graduação PIBIC-CNPq; 1 mestrando e dois doutorandos com projetos em andamento. Projetos vinculam-se ao grupos de pesquisa do CNPq “Núcleo de Estudos e Pesquisa do Zoneamento Ambiental Produtivo” e “Centro de Investigações da Flora

Equipamentos de destaque:

Equipamentos para análise física e química solos e plantas (Absorção Atômica, Espectrômetro de  Emissão Atômica via Plasma)

Estufa climatizada com controle de temperatura e umidade, com ante câmara para testes/avaliações que dependam de irrigação por aspersão total ou localizada em bancadas, sistema de aeração para hidroponia, cortinas ajustáveis para sombreamento e sistema de resfriamento por painel de argila expandida (Lab Inovaherb).

Sala de crescimento de plantas com modificação da atmosfera para radiação fotossinteticamente ativa, temperatura, umidade relativa e concentração de CO2 (Lab Inovaherb).