Prof.ª Etel Rocha Vieira

Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4792223D6

Nome do projeto: Caracterização fenotípica e funcional de linfócitos grandes em obesos resistentes à insulina.

Resumo: Diversos estudos têm demonstrado que a células imunes estão diretamente envolvidas no processo inflamatório que se instala no tecido adiposo de indivíduos obesos e também na fisiopatologia da resistência a insulina. Em nossos estudos sobre o efeito da resistência a insulina associada a obesidade na frequência e fenótipo de células imunes circulantes observamos, em um grupo de 9 indivíduos obesos resistentes a insulina, a expansão de uma população morfologicamente distinta de linfócitos, com maior tamanho em relação aos linfócitos convencionalmente observados no sangue periférico. Análises morfológicas revelaram a presença de linfócitos maiores, com uma maior relação citoplasma:núcleo, que eventualmente apresentam finos grânulos azurofílicos no citoplasma. A caracterização fenotípica desta população celular indicou que ela é composta por linfócitos CD3+CD4+ (40%) e CD3+CD8+ (15%), além de células NK (2%) e NKT (0,9%). Não foram observados monócitos nesta população e a presença de outras subpopulações de linfócitos (células B e Tγδ), ainda não foi investigada. Em concordância com o aspecto morfológico observamos, nesta população, que denominamos linfócitos grandes, uma maior frequência de células CD3+HLA-DR+ e maior expressão de HLA-DR em TCD3+. A frequência de linfócitos grandes mostrou uma significativa (p<0,001) e forte (r2=0,68) correlação positiva com o índice HOMA-IR (indicador de resistência a insulina). As características morfológicas e a expressão de HLA-DR indicam que estas células encontram-se ativadas, o que pode ser decorrente do quadro de resistência a insulina presente nos indivíduos obesos, justificando o aprofundamento do estudo desta população de células, afim de caracterizá-la fenotípica e funcionalmente. A proposta aqui apresentada poderá contribuir para o entendimento da participação do sistema imune na fisiopatologia da resistência insulina, e da relação entre as alterações metabólicas e endócrinas da obesidade e a ativação do sistema imune.

Formas de contato: https://www.facebook.com/BioEx-158191530986922/


Nome do projeto: Mecanismos de priming de neutrófilos em resposta a uma sessão de exercício intervalado de alta intensidade (HIIT).

Resumo: A presente proposta irá investigar mecanismos pelo qual uma sessão de exercício intervalado de alta intensidade proporciona priming dos neutrófilos sanguíneos em indivíduos fisicamente ativos após o exercício. Nesse sentido, será investigada concentrações séricas de moléculas de estresse ou lesão celular presentes no plasma sanguíneo após exercício que possibilitam o priming dos neutrófilos, bem como a viabilidade, o perfil funcional e a expressão e sinalização de receptores que possibilitam priming dessas células após o exercício. Além disso, será avaliado o efeito do plasma coletado após exercício sobre vias de sinalização (inibidas ou não inibidas) que possibilitam o priming dos neutrófilos, bem como a viabilidade e o perfil funcional dessas células.

Formas de contato: https://www.facebook.com/BioEx-158191530986922/


Nome do projeto: Desenvolvimento e avaliação do uso de aplicativo para celular/tablet como estratégia de comunicação do Guia Alimentar para a População Brasileira para adolescentes no município de Diamantina, Minas Gerais.

Resumo: A epidemia de obesidade em curso no país representa a principal causa do aumento de doenças crônicas não-transmissíveis, dentre elas o diabetes e as doenças cardiovasculares, que representaram 50% do total de óbitos por doenças crônicas no Brasil em 2009. Dados  recentes da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) realizada nas capitais brasileiras e Distrito Federal, demonstrou que em 2016 54,7% dos adultos estavam com excesso de peso e 19,6% já apresentavam obesidade. Para os adolescentes (entre 10 e 19anos) a prevalência de sobrepeso, que em 1974-1975 era de 3,7% para meninos e 7,6% para meninas, alcançou a frequência de 21,7% e 19,5% para indivíduos do sexo masculino e feminino,respectivamente, no mesmo período. De maneira semelhante a obesidade, em 2008-2009, entre adolescentes teve prevalência de 5,9% e 4%, enquanto em 1974-1975 a frequência era de apenas 0,4% e 0,7%, para indivíduos do sexo masculino e feminino, respectivamente. As alterações decorrentes do excesso de peso iniciadas durante a adolescência podem acarretar graves problemas metabólicos que vão impactar a saúde do adulto, além de aumentarem o risco do desenvolvimento de doenças e distúrbios psicossociais que têm grande impacto nessa fase de estruturação da personalidade do indivíduo. Estudos têm sugerido que a obesidade leva a alterações no estado redox de indivíduos obesos e contribuem, juntamente com a inflamação para a resistência à insulina associada à obesidade. O Guia Alimentar para a População Brasileira é uma ferramenta eficaz de informação que precisa ser divulgada para a prevenção da obesidade. As informações do Guia devem ser muito bem trabalhadas na adolescência, onde a identidade alimentar termina de ser formada, apresentando um momento crucial para a determinação do estado nutricional na vida adulta. A tecnologia, por meio de smartphones e tablets, tem sido muito utilizada para promoção da saúde, devido ao crescente acesso da população a esses meios. Estas são também ferramentas atrativas para o trabalho com o jovem, e isso pode se tornar uma estratégia eficiente na comunicação do Guia Alimentar para a População Brasileira para os adolescentes, e assim contribuir para aquisição de hábitos alimentares saudáveis, prevenindo/reduzindo a da obesidade entre os jovens. Assim, este projeto objetiva desenvolver e avaliar o uso de aplicativo para smartphone/tablet como estratégia de comunicação do Guia Alimentar para a População Brasileira para adolescentes. O estudo envolverá 60 adolescentes, com idade entre 10 e 14 anos, de duas escolas da rede pública e duas escolas da rede privada do município de Diamantina, Minas Gerais. Será realizada uma pesquisa-ação, que inicialmente por meio da técnica de grupo focal, se buscará conhecer o comportamento alimentar de adolescentes, a percepção destes sobre alimentação saudável e suas principais dificuldades para a adoção de hábitos alimentares saudáveis. A partir das informações coletadas dos estudantes será desenvolvido um aplicativo parasmartphone/tablet com a finalidade de divulgar entre os adolescentes o Guia Alimentar para a População Brasileira e estimulá-los à aquisição dos hábitos alimentares preconizados pelo guia e à prática de atividade física regular. O aplicativo seja elaborado na forma de jogo, no qual o adolescente irá montar uma personagem (avatar) que representará a si próprio. O avatar deverá ser alimentado durante o dia como os mesmos alimentos que o adolescente comer. A atividade física praticada pelo adolescente também deverá ser registrada no jogo. O jogo terá 10 fases, cada uma delas baseada nos dez passos para a Alimentação Saudável do Guia Alimentar. O adolescente terá metas quinzenais a serem atingidas e a mudança de fase dependerá do atendimento das metas. O aplicativo fornecerá avisos ao adolescente, na forma de perguntas, a fim de estimulá-lo a boas práticas alimentares e à prática de atividade física, além de fornecer informações nutricionais sobre o que os jovens estão ingerindo. O jogo dará enfoque às propriedades do alimento como um todo e ao fortalecimento do consumo de alimentos in natura e minimamente processados. Além disso, o aplicativo também deverá valorizar o consumo de alimentos locais de baixo custo e elevado valor nutritivo, fortalecendo a cultura local com um tópico de receitas regionais. O impacto da estratégia adotada será avaliado pela mensuração do consumo alimentar dos estudantes e parâmetros de saúde (antropométricos, bioquímicos e inflamatórios), antes e após 6 meses de intervenção com o uso do aplicativo, comparado a um grupo que receberá informações de maneira convencional (folders e palestras) sobre o Guia.

Formas de contato: https://www.facebook.com/BioEx-158191530986922/