Prof. Ronaldo Thomasini

Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4221350U1

Nome do projeto: AVALIAÇÃO DO COMPRIMENTO DE TELÔMERO COMO BIOMARCADOR DE SENESCÊNCIA CELULAR EM DIFERENTES POPULAÇÕES CELULARES ENTRE INDIVÍDUOS JOVENS E IDOSOS.

Resumo: A parte terminal dos cromossomos é denominada “telômero” e, o seu encurtamento, é um processo natural provocado pelas divisões sucessivas das células e está relacionando a senescência celular. Existem mecanismos de proteção ao encurtamento que impede um encurtamento precoce. Os mecanismos de encurtamento e de proteção ao encurtamento telomérico ainda não são bem conhecidos e, possivelmente, condições próprias do indivíduo como genética, história de vida e estado geral de saúde poderiam influencias nestes mecanismos. O objetivo deste trabalho será verificar se existe diferença significativa de comprimento telomérico entre diferentes tipos celulares, comprimento telomérico entre idosos e jovens e se existe relação de comprimento telomérico e fragilidade em idosos. Para tal, será obtido e purificado células mononucleares, granulócitos, leucócitos totais do sangue periférico e células de mucosa oral e serão extraídos DNAs destas células. Então, será determinado o comprimento telomérico médio em DNA através de técnica de qPCR (Reação em Cadeia da Polimerase Quantitativa em Tempo Real) em DNA extraído de células da mucosa oral, leucócitos totais, granulócitos e de células mononucleares do sangue total periférico.

Contato: ronaldo.thomasini@ufvjm.edu.br


Nome do projeto: Extração e atividade de peroxidase de rabanete (Raphanus sativus) para uso em ensaios imunoenzimáticos.

Resumo: Vários ensaios imunológicos utilizam anticorpos anti-imunoglobulina marcados com enzimas como estratégia para revelar a reação antígeno-anticorpo. Nestes ensaios, o antígeno ou anticorpo é revelado pela ligação com um anticorpo marcado com uma enzima (conjugado) e a clivagem do substrato da enzima é evidenciada utilizando uma substância cromogênica, fluorescente ou luminescente. Desta forma, a detecção do produto da clivagem do substrato pode ser avaliada, visualmente, ou com a ajuda de equipamentos indicando a ocorrência prévia reação antígeno-anticorpo. A enzima mais, frequentemente, utilizada nestes ensaios é a peroxidase de rábano silvestre (HRP), uma planta da família do rabanete. Atualmente, os conjugados marcados com peroxidase são adquiridos apenas de empresas estrangeiras o que, por vezes, leva a dificuldades de importação além do custo elevado. O objetivo deste trabalho será avaliar o potencial da peroxidase extraída de rabanete (Raphanus sativus, Brassicaceae), uma planta bastante adaptada ao solo e clima brasileiros, para produção de conjugados para serem utilizados em ensaios imunoenzimáticos. Para tanto, a peroxidase será extraída do bulbo do rabanete através de maceração e precipitação seletiva e purificada através de cromatografia de exclusão molecular. A peroxidase purificada será caracterizada e estabilizada para posterior conjugação com anticorpos anti-imunoglobulina e avaliação da sua eficiência utilizando os métodos de ELISA, Western Blot e Dot Blot.

Contato: ronaldo.thomasini@ufvjm.edu.br