Histórico

A organização do Mestrado em Ciências Humanas (PPG-CH) ocorreu em 2012, no contexto de reestruturação e expansão da UFVJM no âmbito do REUNI (Plano de Reestruturação do Ensino Superior Federal). O objetivo que norteou a proposta fora de trabalhar na perspectiva interdisciplinar, lançando mão do conceito de Cultura em toda sua abrangência, como fio condutor do diálogo entre todas as linhas do programa. Esta escolha convergiu não apenas aos anseios da política educacional da universidade como propiciou uma formação continuada aos discentes egressos do curso de graduação do Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades e em Turismo, além das licenciaturas de Pedagogia, História, Geografia e Letras e aos profissionais interessados em atuar de forma multi e interdisciplinar em suas respectivas áreas de atuação profissional.

A proposta de criação do curso de Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades (BHU), curso superior de graduação com característica não profissionalizante, surgiu no cenário descrito acima. Constituía-se como formação superior de primeiro ciclo para os cursos de Licenciatura em Geografia, História, Letras e Pedagogia. E foi a partir desse modelo interdisciplinar que os docentes, também pesquisadores oriundos de outras instituições de excelência de todo Brasil, iniciaram a organização de núcleos de pesquisa correlatos, que compartilhavam não apenas objetos e temas de pesquisa, também metodologias e corpo teórico. Foi, então, que no final do ano de 2009 foi registrado tanto na Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFVJM quanto no Diretório de Pesquisas do CNPq o Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas (GPICH). O GPICH contava então com professores, em sua maioria, doutores nas áreas de História, Letras, Ciências Sociais, Pedagogia, Filosofia e Psicologia. Este foi o grupo de pesquisa que propiciou a criação do Mestrado Profissional Interdisciplinar em Ciências Humanas, o qual teve a primeira entrada de 15 discentes no ano de 2013.
Atualmente, o Mestrado Profissional Interdisciplinar em Ciências Humanas – PPG-CH conta com 28 professores (25 permanentes e 03 colaboradores) TODOS doutores, destes, quatro são pós doutores, três realizam seu pós-doutoramento e vinte e um são pesquisadores seniores. Alem disso, os docentes participam de vários grupos de pesquisa que fazem a interligação do nosso mestrado com outras universidades e com pesquisadores estrangeiros. Isto demonstra a alta qualificação do corpo docente. Vale ressaltar que muitos dos docentes do programa compõem grupos de pesquisa que figuram em âmbito nacional, com base em diversas instituições de ensino superior.

Desde a criação do PPG-CH, enfatizou-se a relação de complementaridade entre graduação e pós-graduação. Esta foi intensificada a partir de 2015, quando o Governo Federal emitiu uma resolução voltada para as licenciaturas que exigiu uma profunda reformulação no curso de Bacharelado em Humanidades, que deixou de ser o primeiro ciclo não profissionalizante para as licenciaturas. O BHU foi reformulado, passou a se chamar Bacharelado em Ciências Humanas e manteve a terminalidade própria, não profissionalizante, mas com seu segundo ciclo ocorrendo em políticas públicas e/ou na pós-graduação. As licenciaturas passaram a ter entrada própria, cada uma com uma perspectiva interdisciplinar em sua proposta curricular e mantendo sua relevância para o programa, posto que há professores e egressos destas no PPG-CH.

O novo BCH foi desenhado com base num currículo estruturado para atender, em 3 (três) anos, uma base interdisciplinar e uma linha formativa em POLÍTICAS PÚBLICAS, em mais um ano, lançando mão de mecanismos de parcerias com os cursos que compõem a Pós-Graduação da UFVJM.

O diálogo permanente entre o BCH, Turismo, as licenciaturas e o PPG-CH (cursos lotados na Faculdade Interdisciplinar em Humanidades – FIH), pretende-se profícuo, pelo fato de que no quadro formativo e no percurso de cada acadêmico, haverá condições de um processo dialógico entre as diversas áreas de conhecimento das Ciências Humanas. Nesse processo, a interdisciplinaridade tem sido encarada em um novo patamar desafiador, uma vez que o curso contará com as já mencionadas parcerias que promoverão, invariavelmente, novas condições de diálogo, novas articulações entre as disciplinas, os diversos cursos de graduação e pós-graduação da UFVJM.

A aproximação com a Graduação também ocorre por meio da oferta do Estágio Docência, da proposição e participação de graduandos, pós graduandos e orientadores em Grupos de Pesquisa. A aproximação com a Educação Básica se dá especificamente por meio da ação de alguns docentes do programa que são coordenadores de área do PIBID e da Residência Pedagógica. Além disso, existem projetos de extensão coordenados pelos nossos docentes que articulam essa aproximação entre a comunidade, professores da educação básica, discentes da graduação e da pós graduação. Em 2018, o PPG-CH apoiou ações de extensão (ex: Nas esquinas do Patrimônio) e também a organização de eventos (III Seminário Interdisciplinar em Ciências Humanas; IV Colóquio Cultura e Educação na América Portuguesa e Semana da Pedagogia).
Em 2019, o PPG-CH organizou o IV Seminário de Pesquisas Interdisciplinares em Ciências Humanas, apoiou a organização do X COPEHE (Congresso de Pesquisa e Ensino de História da Educação em Minas Gerais) e os nossos docentes participaram da organização de vários eventos na UFVJM e em outras instituições.
O  PPG-CH vem cumprindo o seu papel institucional de diminuir as assimetrias regionais, entregando recursos humanos altamente qualificados à sua região de abrangência. Ao mesmo tempo, integra a região ao mundo por meio das parcerias e convênios nacionais e alguns internacionais. Admitindo-se sua consolidação enquanto programa nacional, é meta ser reconhecido também fora do Brasil. Para isso vem trabalhando nos convênios internacionais e intercambio de discentes. Não há dúvidas de que toda essa contextualização planejada pelo programa trará impactos positivos na produção científica e formação de recursos humanos. Como mérito maior, o programa acredita que toda a dedicação de seus docentes, consolida a certeza de que valeu e vale a pena instituir a UFVJM numa região de extrema carência.

Para além do entendimento da CAPES sobre interdisciplinaridade como “uma forma de produção do conhecimento que implica trocas teóricas e metodológicas, geração de novos conceitos e metodologias e graus crescentes de intersubjetividade, visando a atender a natureza múltipla de fenômenos complexos” (CAPES, 2016:09 e 2017:01)*, entendemos que é, por tudo isso, um exercício constante e árduo, que necessita de tempo, dedicação, parcerias diversas e persistência. O diálogo entre docentes e discentes propicia um olhar interdisciplinar sobre os seus projetos e futuras dissertações e/ou produtos (uma vez que somos um mestrado interdisciplinar).

Muito podemos fazer pela região do Vale do Jequitinhonha e do Mucuri, sendo o único curso interdisciplinar em Ciências Humanas em toda a região Norte de Minas Gerais. Segundo a própria CAPES, “de uma proposta de Programa de Pós-graduação Interdisciplinar espera-se que o produto final, em geração de conhecimentos e qualidade de recursos humanos formados, seja qualitativamente superior às contribuições individuais das partes envolvidas” (CAPES, 2009:06; 2013:12; 2016:09)**. E é isso que fizemos e fazemos. A quantidade de trabalhos produzida por cada professor, alunos e egressos é inferior a todo o conjunto de benefícios (medidos pela qualidade) que o programa traz para aquele que erroneamente é chamado, há décadas, de “Vale da Pobreza”. Hoje exportamos qualidade, capacitamos pessoas para atuarem nas políticas públicas; no ensino básico, médio e superior, nas corporações; nos movimentos sociais e nos conselhos; na cultura, nas artes; organizamos acervos históricos e arqueológicos, pesquisamos sobre a região, enfim, atuamos na sociedade civil e no Estado; na vida pública e privada.
_______________________________
* CAPES. Documento de Área Interdisciplinar. 2016:09. Também encontra-se no Relatório de Avaliação 2013-2016 – Quadrienal 2017. p. 01.
** CAPES. Documento da Área Interdisciplinar 2016:09. Também encontra-se em mais dois documentos da CAPES: Documento de Área Interdisciplinar, 2013:12 e o de 2009:06.